A Economia Digital nas PME.

Qual a importância de integrar o comércio tradicional na economia digital e global? 

A Economia Digital nas PME.

O pequeno comércio, comércio de rua ou o comércio tradicional foi fortemente abalado, no seu volume de negócios e na capacidade de reter clientes, com a proliferação de novas formas de comercialização.

Falamos essencialmente da distribuição moderna de grandes centros comerciais, que iniciaram o seu processo de expansão nos meados da década de 90 do século passado. 

Atualmente, nova avalanche caiu sobre as PME – Pandemia Mundial por Covid 19. 

Os negócios foram obrigados a fechar portas. Sem a presença de clientes não existem vendas. 

E agora?
A solução parece obvia – a web – mas será assim tão simples? 

A simplicidade do processo pesa sobre a mentalidade dos empresários e a questão geracional. 

Quando nas PME se fala na presença na WEB, a grande maioria fica apenas pela divulgação no site da sua atividade e apresentação dos produtos/serviços. E, mesmo nesta área, a maioria destes sites não tem conteúdos atualizados nem qualquer tipo de interatividade com o mercado e os potenciais clientes. 

Se, por outro lado, falarmos da venda “on-line”, então o universo de empresas é ainda muito mais reduzido, pois, a grande maioria ainda não está sensibilizada para este novo canal de vendas, e nota-se que a grande maioria das empresas que já possuem loja “on-line”, colocaram-na na WEB e esperam que os compradores, simplesmente, lá vão comprar. 

A entrada de um determinado negócio na economia digital não se reduz apenas às grandes empresas. A economia digital é o palco atual para todos os negócios. Esteja onde estiver, a montra de um negócio passa a ser virtual e disponível a todos os possíveis compradores de norte a sul do país (ou do planeta). Na verdade, a presença web, é todo um mundo de oportunidades e de inovação gerador de mais valias. 

Tendo em atenção esta realidade, é totalmente viável e urgente conceber um modelo de negócio suportado em tecnologia e conceitos inovadores, cujo objetivo em primeira análise passa por criar um negócio em rede, agregando produtos de várias PME’s, dotando-o de conceitos e estratégias fundamentais para o sucesso neste canal de vendas: divulgação e atualização constante (e-Marketing, produção de conteúdos, fotografia digital), logística apurada e serviço de qualidade ao cliente. 

Neste modelo de negócio os custos são obviamente muito menores para cada uma das empresas, sendo atenuadas as dificuldades de cada empresa, visto existir um modo assistido de entrada neste novo canal.
Por outro lado, o modelo de negócio aliado ao comércio digital prevê que, após todo o processo de aprendizagem, experiência e (espera-se) sucesso de vendas, cada PME possa, logo que achar oportuno e com custos muito diluídos, ter também a sua própria loja “on-line”, podendo, se assim o pretender reforçar a sua marca e os seus produtos e serviços no Mercado Digital. 

O Ecommerce não está reservado às grandes indústrias, e a pandemia mostrou isso mesmo. Existe também para as microempresas e PME uma oportunidade para usarem o digital para o crescimento do comércio e consumo de produtos regionais e locais, através de estratégias para fazer aumentar a utilização deste canal de negócio. 

Esta mudança repentina que a Pandemia trouxe, obrigou os pequenos negócios a terem de ir ao encontro dos seus clientes, e isso aconteceu em várias formas: entregas ao domicílio e take away são dois exemplos potenciados por esta nova realidade. 

Em verdade, o cliente já não vem até nós. Nós temos que criar oportunidades de chegar até ao cliente e obter vantagem competitiva. 

O Futuro é Digital, e é necessário investir na agregação de capacidades que permitam aumentar as competências dos empresários para tomarem as decisões certas em tempo real. O digital está a baixar as barreiras tradicionais entre os setores de atividade e todos queremos estar no centro para agregar mais valor. 

A porta do nosso negócio, com a presença web, continuará aberta. E esta ideia é o futuro. Aliás, esta ideia é a solução para a difícil transição, e tão urgente, que é a entrada para a Economia digital e mundial. Investir em novas normativas de comércio é garantia de sucesso. 

Investir no futuro da sua empresa, é garantir que todos os dias a porta do seu negócio está aberta e todo um mundo de oportunidades se abre!
Invista nesta transição digital e eleve o seu negócio a um patamar carregado de oportunidades e promoção do seu negócio! 

Comércio Tradicional e Economia Digital.
Marcado em:                                                                                    
error: O conteúdo está protegido !!